segunda-feira, 1 de março de 2010

Boca


Boca: nunca te beijarei.
Boca de outro que ris de mim,
no milímetro que nos separa,
cabem todos os abismos.
Boca: se meu desejo
é impotente para fechar-te,
bem sabes disto,
zombas de minha raiva inútil.
Boca amarga pois impossível,
doce boca (não provarei),
ris sem beijo para mim,
beijas outro com seriedade.

*******************************************
Carlos Drummond de Andrade

Um comentário:

  1. Comentar o poeta ou a dor...
    Mas comento seu bom gosto e sensibilidade.

    ResponderExcluir